terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Cavaleiro de ouro: Aspros De gemeos


Aspros de Gêmeos

  Editar
Ler mais: Os Cavaleiros do ZodíacoPersonagens
Aspros
アスプロス
AsprosLCv18.png
Cavaleiro de Ouro
Aspros de Gêmeos (双子座のアスプロス, Jemini no Asupurosu) era o Cavaleiro de Ouro original da Constelação de Gêmeos, pouco antes do começo oficial dos eventos da Guerra Santa do Século XVIII. Foi morto ao trair o Santuário e aliou-se a Hades.

Índice

 [mostrar]

    Personalidade e históriaEditar a secção Personalidade e históriaEditar

    Aspros e Defteros viveram e treinaram no Santuário. Aspros há muito tempo era visto como a pessoa bondosa que nascera sob Gêmeos, com o destino de se tornar Cavaleiro e proteger Atena e a paz, enquanto Defteros era visto como aquele que nascera sob a estrela da catástrofe, um ser maléfico e indigno. Aspros, no entanto, defendia seu irmão de todas as ofensas, considerando-o um igual; costumava assegurar a Defteros que ele não era uma sombra, ou apenas o segundo, e jurava que continuaria avançando para que ambos fossem reconhecidos. A relação entre os gêmeos começou a se deteriorar por intervenção de Yohma de Mefistófeles: o Espectro provocou Aspros afirmando que, se Defteros via seus treinamentos e era tão poderoso quanto ele, poderia tomar seu lugar e tornar Aspros a "sombra". Eventualmente, Aspros sagrou-se Cavaleiro de Gêmeos, e com o tempo passou a ser admirado por todos.

    Declínio e traiçãoEditar a secção Declínio e traiçãoEditar

    Aspros ao lado de Regulus na abertura do anime.
    Bronze SaintCriada por Bronze Saint
    Durante sua visita a Star Hill, Aspros ignorou os pedidos de Defteros para que deixassem o local, reservado aos Grandes Mestres. Lá, o Cavaleiro de Gêmeos teve acesso a conhecimentos como a história do Santuário, os relatórios das observações das estrelas, o segredo do sangue de Atena, e a técnica selada, Genrōmaōken. Defteros tirou o frasco com o sangue de Atena das mãos do irmão, mas este comentou que a única maneira de ter sua existência reconhecida era ter o poder do Grande Mestre, portanto planejou assassiná-lo. Decidiu usar seu próprio irmão para realizar a tarefa: poucos sabiam da existência de Defteros, e os que o conheciam acreditavam que ele era um ser abominável nascido sob a estrela da catástrofe, fazendo com que não fosse grande surpresa que essa pessoa tentasse aniquilar o líder do Santuário. Lançando o Genrōmaōken em Defteros, Aspros ordenou que ele matasse o Mestre Sage.
    Imaginando que o Grande Mestre teria algum tipo de proteção, Aspros preparou-se especificamente para enfrentar e derrotar Manigoldo ou Sísifo, seus possíveis oponentes mais prováveis. O Cavaleiro de Gêmeos seguiu Defteros enquanto ele era obrigado a executar a missão que lhe foi dada; quando Sage foi capaz de deter o primeiro golpe de Defteros, Aspros entrou em cena, fingindo pretender punir o "irmão traidor". O alvo de seu ataque, no entanto, foi o próprio Sage, protegido pela técnica de Asmita de Virgem. Asmita revelou que o Mestre já suspeitava do que se passava na mente de Aspros, mas não agira até ter certeza de que estava certo. Mesmo elogiando a sagacidade do Mestre ao escolher um defensor improvável, Aspros afirmou que ele e Defteros, tendo a mesma força, eram os guerreiros mais poderosos, "aqueles capazes de destruir galáxias". Sage não se intimidou, e Asmita declarou o combate iniciado.
    Asmita atacou Aspros, que foi protegido por Defteros; enquanto o gêmeo enfrentava o Cavaleiro de Virgem, Aspros lutava contra o Grande Mestre, que parecia não fazer questão de se defender; quando o líder do Santuário parecia derrotado e Defteros retornou do combate contra Asmita, Aspros ordenou que ele terminasse sua missão e matasse Sage. Para a surpresa do Cavaleiro de Gêmeos, Defteros, após a conversa com Asmita, atacou o gêmeo com um golpe certeiro no coração.
    Aspros caiu surpreso. Sage revelou que Sísifo não era uma opção para sucedê-lo como Grande Mestre por já haver declinado do direito de ser um candidato: Aspros era o escolhido, e o boato fora espalhado apenas para que o Grande Mestre pudesse preparar um teste que provasse se o Cavaleiro de Gêmeos tinha ou não intenções malignas. Sage lamentava que Aspros tivesse caído em sua armadilha. Aspros, no entanto, afirmou que, se seria ele a se tornar Grande Mestre, ele voltaria para buscar o que lhe pertencia, mesmo depois de morto. Para garantir que não sentiria qualquer tipo de arrependimento, lançou o Genrōmaōken sobre si próprio e em seguida morreu em decorrência do ferimento causado por Defteros. O corpo de Aspros foi levado pelo irmão para Canon Island.

    Post mortemEditar a secção Post mortemEditar

    Uma vez morto, Aspros procurou Hades pessoalmente para barganhar com o Rei do Submundo: ele repassaria a Hades todo o conhecimento que possuía sobre o Santuário, inclusive aquele roubado de Star Hill, a que só o Grande Mestre tinha acesso, mas em troca deveria receber uma nova vida. Impressionado pela atitude do ex-Cavaleiro de Ouro, Hades aceitou a proposta. Num ponto mais avançado da guerra, Aspros foi nomeado um dos Guardiões das Estrelas, resposável por Marte, um dos Templos Demoníacos dentro do Lost Canvas.
    Aspros interceptou o caminho da Another Dimension que Defteros (agora sagrado Cavaleiro de Gêmeos) e Dohko de Libra percorriam, saindo do Santuário com a armadura de Atena; percebendo a chegada do irmão no espaço dimensional, Defteros lançou Dohko para dentro do Lost Canvas, enfrentando Aspros sozinho. Defteros notou que o irmão vestia "uma imitação dos trajes do Grande Mestre", e Aspros provocou-o dizendo que ele próprio também era uma imitação.
    Os gêmeos caíram no templo do Lost Canvas guardado por Aspros, que Defteros notou ser extremamente semelhante à Casa de Gêmeos no Santuário. Ao se perguntar se o que o irmão pretendia era atormentá-lo com o passado, Defteros viu a máscara que era forçado a usar quando jovem e lembrou-se de como as coisas costumavam ser; Aspros, vergando a sobrepeliz de Gêmeos, anunciou que estava prestes a provar que detinha o verdadeiro poder da constelação de Gêmeos através de sua técnica Galaxian Explosion. Para surpresa do irmão mais velho, Defteros conseguiu deter o impacto da técnica, mesmo se ferindo no processo; o irmão mais novo então afirmou que seus tempos como sombra haviam acabado, e ele mataria Aspros tantas vezes quanto o mais velho fosse corrompido pelo mal.
    Aspros respondeu com a técnica proibida, Genrōmaōken. O irmão mais velho provocou Defteros dizendo que, ao contrário de dois anos atrás, o Cavaleiro de Virgem e o Grande Mestre não estavam ali para salvá-lo. Como primeira ordem, Aspros sugeriu que o irmão trouxesse a cabeça de Atena imediatamente, mas logo em seguida surpreendeu-se com a presença de lava inundando o templo. Defteros confirmou que ele criara a lava, afirmando que jamais se tornaria novamente um fantoche de Aspros porque tinha seu próprio poder e sua própria existência, uma determinação tão poderosa que foi capaz de sobrepujar o Genrōmaōken. Para demonstrar "a força da estrela caótica", o poder de sua existência, Defteros atacou com seu Mavros Eruption Clast. Apesar do impacto do golpe, Aspros afirmou que era insuficiente; foi capaz de evitá-lo facilmente e contra-atacar com a Galaxian Explosion, dessa vez conseguindo atingir Defteros em cheio e destruindo grande parte do templo.
    Aspros perguntou por que Defteros desperdiçou a grande chance que tinha de atacá-lo, uma vez que não usou o golpe mais poderoso dos gêmeos, Galaxian Explosion. Só então Defteros acabou deixando transparecer que ainda guardava bons sentimentos e lembranças agradáveis do Aspros gentil que costumava conhecer; o irmão mais velho respondeu dizendo que era através do mal que ele alcançaria todos os seus objetivos, sobrepujar o Grande Mestre e conseguir anexar até mesmo o Mundo dos Mortos a seus domínios. Parecendo aceitar que o irmão que ele amava não existia mais, Defteros posicionou-se para lançar a Galaxian Explosion, comentando que para ele, a técnica era um golpe sagrado que seu irmão empregava enquanto se esforçava para progredir, e que agora ele usaria para exterminar Aspros, que se tornara uma vil sombra do que costumava ser. O irmão mais velho riu afirmando que não se permitiria morrer pelas mãos do mais jovem outra vez, e Defteros morreria pelo bem de seus objetivos. Despedindo-se com tristeza de todas as lembranças que tinha do irmão, Defteros disparou a Galaxian Explosion e Aspros contra-atacou imediatamente. Os dois golpes se chocaram, criando uma gigantesca massa de energia destrutiva.
    Aspros olhou nos olhos do irmão mais jovem, perdendo-se em pensamentos acerca de quando começara a odiar aqueles olhos, e de quando começara a temê-los, ponderando se o fato de Defteros sempre segui-lo como uma sombra era admiração, ciúme, ou mesmo um desejo de tomar seu lugar. Aspros então rugiu que a guerra não poderia continuar até que um deles morresse, já que a existência de um ameaçava a do outro, e Defteros apenas afirmou que concordava. A massa de energia explodiu com uma destruição intensa que devastou o templo de Marte.
    Ainda de pé, Aspros comentou que o derrotado era seu segundo. Defteros, enfraquecido e sem forças, apenas lamentou-se por só agora os dois irmãos que se forçaram a viver como luz e sombra poderem se ver cara a cara e conversar como faziam nos tempos de juventude. Em seguida, afirmou que Aspros estava errado: o golpe mais forte foi o do irmão mais jovem, que faleceu enquanto o cabelo e os olhos do mais velho voltavam ao original, sinalizando o fim do efeito do Genrōmaōken que ele lançara sobre si próprio ao morrer no Santuário. O ato final de Defteros foi ceder sua própria vida a Aspros, de modo que sua alma se tornou parte do irmão mais velho e o libertou do Genrōmaōken e de Hades.

    RedençãoEditar a secção RedençãoEditar

    Livre do mal que o corrompia, Aspros assemelhou-se com o que costumava ser quando jovem, e foi aceito pela Armadura de Gêmeos. Apanhando as vestes falsas de Grande Mestre e usando a sobrepeliz para ocultá-la, Aspros partiu para a construção central do Lost Canvas a fim de enfrentar Alone. Assim que ambos se encontraram, Alone comentou que o impacto da batalha pôde ser sentido desde onde ele estava e notou que a cor do cabelo de Aspros voltara ao original, lamentando por isso e dizendo preferir a anterior. O Cavaleiro comentou que tal cor representava o mal que o tomava e que desaparecera com a vida de seu irmão. Aspros avançou para atacar Alone, mas este defendeu-se com um mero pincel, exercendo seus poderes para tentar tirar de Aspros a vida que lhe concedera.
    Para sua surpresa, foi impossível; nesse momento, Aspros revelou a Armadura de Ouro que vestia e afirmou que o que o mantinha agora não era o poder de Hades, e sim a vida de Defteros. Alone perguntou como era possível usar a Armadura no corpo que ele concedera, e Aspros explicou que o traje pertencia a metade daquela existência, uma vez que agora os dois gêmeos tinham a união que sempre deveriam ter, e seus punhos se voltariam juntos contra o mesmo inimigo. Aspros atacou-o com Galaxian Explosion, mas a técnica foi interrompida quando o tempo parou sob o comando do recém-chegado Yohma de Mefistófeles.

    Poderes e HabilidadesEditar a secção Poderes e HabilidadesEditar

    Explosão Galáctica (ギャラクシアン・エクスプロージョン, Gyarakushian Ekusupurōjon, do inglês "Galaxian Explosion"): Sua energia cósmica, ao alcançar o auge e ser partilhada igualmente em ambos os braços, todo o poder avança contra o adversário. O poder de destruição é o mesmo, de que uma supernova, por tanto o poderío é tão extenso, que até mesmo uma galáxia pode ser destruída. Na saga de Hades, Kanon utiliza uma variação desse golpe contra Radamanthys, agarrando-o e subindo rapidamente com o adversário, causando a morte de ambos.
    Outra Dimensão (アナザー・ディメンション, Anazaa Dimenshon, do inglês "Another Dimension"): Conforme, ambos os braços do Cavaleiro de Gêmeos erguem-se em direção ao adversário, todo o espaço temporal, é desfeito. A realidade, se desfaz enquanto um enorme portão dimensional é aberto. Como dito, a Outra dimensão, é um portal para um contínuo espaço tempo, sem entrada e nem saída, que não é afetado pelas regras universais.
    Satã Imperial (幻朧魔皇拳 Genrou Maou Ken): Com um rápido movimento de mãos, Aspros “corta” o ar, assim abrindo uma espécie de espaço na Atmosfera. Então, após o espaço ser aberto ele atira um feixe de luz que avança contra o cérebro do adversário através do vácuo criado, que ultrapassa a velocidade da luz devido a falta da resistencia do ar. Ataca diretamente o cérebro do oponente. A versão mais fraca ataca o sistema nervoso do oponente, deixando-o imóvel e vulnerável a qualquer ataque. A versão mais forte faz com que Aspros ataque o cérebro do oponente, fazendo-lhe uma "lavagem cerebral", fazendo-o atacar mesmo seus entes queridos. Os efeitos só irão desaparecer se a pessoa vir sua vírima morrer.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Postar um comentário